Busca

IEL – Instituto de Estudos Libertários

Coletivo criado para a difusão de ideais e conteúdos libertários

Palimpsestos: Revista de Arqueologia e Antropologia Anarquista

Captura de Tela 2017-04-21 às 11.26.42

Palimpsestos: Revista de Arqueologia e Antropologia Anarquista é uma publicação independente, visando a socialização de pesquisas, estudos de caso, as considerações teóricas, contribuições metodológicas e experiências práticas de uma ampla perspectiva anarquista; que aceita contribuições vinculadas à arqueologia, antropologia, bioantropologia e gestão de referentes culturais.

Como proposta libertária, esta revista tenta apagar fronteiras e distâncias, esperando contribuições de autores de todos os cantos do globo. Por questões técnicas e barreiras linguísticas, sugere-se que as obras sejam escritas em Português, Inglês ou Espanhol. Elas serão publicados na sua língua original e traduzidas para o último mencionado. Textos escritos em qualquer outra língua podem ser incluídos se o / a autor / puder fornecer a tradução.

A chamada é permanente, os trabalhos podem ser enviados ao longo do ano. No entanto, periodicamente, os/as editores a decidirão a data limite para a seleção de cada número. As inscrições recebidas a partir dele são automaticamente considerados para o próximo número.

Leia o primeiro número clicando aqui.

Por uma erótica solar – Conversação com João da Mata

“A erótica solar rompe com a lógica que situa o desejo como carência, para então afirmá-lo como transbordamento. O prazer não se define pela completude, mas na conjugação que trás o excesso e a demasia. Sendo descarga, derramamento, o desejo na erótica solar pressupõe excesso, dispêndio de energia e realização do corpo. Aqui, em substituição à noção de algo completar na busca do prazer e toda a mística que se cria em torno dela, emerge o suplemento.

Nesta conversação, o somaterapeuta João da Mata traz para o debate a perspectiva de existir como campo de batalha, num contínuo movimento em que o desejo e o prazer são ferramentas para construir vidas livres e potentes.

Este encontro ocorreu no Espaço Mova, no Rio de Janeiro e foi promovido pelo AmorVivo BookClub.

Texto de referência: http://www.somaterapia.com.br/wp/wp-content/uploads/2016/10/Por-uma-er%C3%B3tica-solar.pdf

Conversação Libertária na Soma: “Drogas e Liberdade” com Thiago Rodrigues

“O chamado ‘problema das drogas’ é uma questão recente. Há aproximadamente cem anos, a maioria das drogas psicoativas hoje proibidas eram produzidas, vendidas e consumidas legalmente sem qualquer regulamentação.

Desde então, no entanto, a proibição dessas e de outras substâncias gerou um imenso negócio ilegal de projeção global, com milhões de presos, mortos, sofrimentos e violências.

Essa conversação propõe uma aproximação libertária das práticas com drogas e das políticas elaboradas na tentativa de controlar as infindáveis formas pelas quais mulheres e homens, há milênios, experimentam estados alterados de consciência.

 

Thiago Rodrigues é professor no curso de Relações Internacionais da UFF e pesquisador no Nu-Sol/PUC-SP. É autor, entre outros, de “Narcotráfico, uma guerra na guerra” (2012) e co-editor de “Drogas, Política y Sociedad en América Latina y el Caribe” (2015) e “Drug Policies and the Politics of Drugs in the Americas” (2016).”

Mulheres Anarquistas: o Resgate de uma História Pouco Contada

PDF da edição:  mulheres-anarquistas-o-resgate-de-uma-historia-pouco-contada-mabel-dias

“De que substâncias são feitas essas mulheres? De amor e ódio!

De amor pela busca de uma sociedade mais livre, igualitária e justa, não medindo esforços para alcança-la. De ódio por um sistema capitalista, desumano, que a cada dia suga nossas forças, tentando nos deixar apátic@s, insensíveis e acomodad@s, para que, enfim, não travemos contra ele uma luta e o destruamos!

Essas mulheres ousaram e desafiaram a ordem vigente em seus países, eram anarquistas sem nenhuma dúvida e lutaram por seus ideais, pois acreditavam que mesmo que fossem mortas em batalhas ou não conseguissem estabelecer de fato a anarquia através das brigas travadas contra seus opositores, estariam recompensadas por nunca terem se curvado perante seus/suas opressor@s.”

Entre 2002 e 2003, fruto da idealização, pesquisa e trabalho de Mabel Dias, companheira anarcopunk de João Pessoa (Paraíba), e com contribuição e apoio de outr@s companheir@s de várias partes, foram editadas seis cartilhas com o título,“Mulheres Anarquistas: O Resgate de uma História Pouco Contada” estas publicações surgem da necessidade de trazer à tona uma história que, desde sempre, foi deixada de lado, quando não esquecida.

PDF da edição:  mulheres-anarquistas-o-resgate-de-uma-historia-pouco-contada-mabel-dias

 

Originalmente publicado em: https://anarquismopiracicabaeregiao.files.wordpress.com/2010/02/mulheres-anarquistas-o-resgate-de-uma-historia-pouco-contada-mabel-dias.pdf

Número 4 da Revista da Biblioteca Terra Livre

caparevista4-225x300

EDITORIAL [PDF]

DOSSIÊ 80 ANOS DA REVOLUÇÃO ESPANHOLA

Carta aberta a companheira Federica Montseny, por Camillo Berneri   [PDF]
Mais vale um anarquista do que um capitão!, por Ramón Casals   [PDF]
A coletivização na Espanha, por Augustin Souchy   [PDF]
O problema do dinheiro durante a autogestão espanhola (1936-1939), por Frank Mintz [PDF]
Octogésimo aniversário da Revolução: Mujeres Libres, por Laura Vicente [PDF]
Indomáveis, por Lucía Sanchéz Saorníl [PDF]

ESTUDOS ANARQUISTAS

Indivíduo, comunidade, sociedade, por Eduardo Colombo   [PDF]

DOCUMENTOS

A revolução social, por Ricardo Flores Magón [PDF]
Aos homens de boa vontade, por Antonio Bernardo Canellas [PDF]
Prefácio? Não!, por Maria Lacerda de Moura [PDF]

EXPRESSÕES LIVRES

O Carnaval, por Rafael Barrett [PDF]

Cinema e Anarquismo – Base de Dados

216f

Base de dados de filmes, criada e mantida pelo professor e pesquisador Santiago Juan-Navarro.

Contém informações, ficha técnica, material gráfico e notações históricas de fundamental importância para conhecermos a interface do anarquismo com a sétima arte desde os primórdios do século XX.

Em ordem cronológica: http://www.cineyanarquismo.com

Em ordem alfabética: http://www.christiebooks.com/Film%20Database/anarquismo/index.html

Número 3 da Revista da Biblioteca Terra Livre

capa_num3.jpeg

Trata-se de uma publicação digital editada semestralmente, reunindo artigos, resenhas (de livros, filmes, etc), produções artísticas e textos sobre temas da atualidade, analisados sob uma ótica anarquista.

Todo o conteúdo pode ser acessado na íntegra clicando aqui. Boa leitura!

DOSSIÊ PEDAGOGIA LIBERTÁRIA

O papel da educação no movimento operário e anarquista – Vitor Ahagon

Espaços para crianças nas Feiras Anarquistas – Rodrigo Rosa

A escola e a barricada – Marianne Enckell

O sistema educativo em Rojava – Dorşin Akif entrevistada por Derya Aydın

Balanço de um Ensino Básico no Serviço Social da Indústria – parte II – Giu

ESTUDOS ANARQUISTAS

O Sentido da Ação Direta – Eduardo Colombo

 

LEITURAS LIBERTÁRIAS

Organização política anarquista: Críticas, autocríticas e aprendizados – Alexandre Samis e Robson Alves

Podemos? Só se for abaixo e à esquerda – Panclasta

A anarquia como palavra – Diego Mellado

 

DOCUMENTOS

O livro, síntese do Homem – Lucía Sanchéz Saornil

Carta a Jean Grave/Solidariedade Mundial. – W. C. Owen, Ricardo Flores Magón, Enrique Flores Magón/Ricardo Flores Magón

EXPRESSÕES LIVRES

A justiça na China – Florencio Sanchéz

O homem é o lobo do homem – uma reflexão sobre o filme Mad Max – Vanderleia

Inconforme e inapropriado – She Devils

DIÁLOGOS

“O confederalismo democrático é uma proposta para todos os povos”

Solidaridad Kurdistán entrevistado por A las barricadas

 

Leia mais em: https://revistabtl.noblogs.org/files/2015/09/revista.pdf

O ANARQUISMO NA REVOLUÇÃO RUSSA, por Daniel Guérin

Divulgamos esse texto, publicado originalmente no Portal Anarquista, tradução VTS, como continuidade das reflexões acerca do centenário da revolução russa.

Portal Anarquista

russian-revolution-copy

Na continuação da divulgação de artigos e textos sobre a revolução russa, que agora comemora 100 anos, iniciamos a publicação deste texto de Daniel Guérin (Capitulo II do livro “l’anarchisme”) que destaca o impulso libertário que esteve na base da revolução dos sovietes, mas cedo esmagada e controlada pelo partido bolchevique. As greves e o controlo de fábricas pelos trabalhadores, a insurreição de Kronstadt, o amplo movimento de camponeses da Ucrânia e a luta levada a cabo por Makhno foram alguns dos momentos altos desse espírito libertário que atravessou a revolução russa. A tradução é da companheira VTS para o Portal Anarquista.

Ver o post original 4.448 mais palavras

VIDA SEM POLÍCIA – Reflexões sobre caos e a violência no Espírito Santo numa perspectiva anarquista

Continuar lendo “VIDA SEM POLÍCIA – Reflexões sobre caos e a violência no Espírito Santo numa perspectiva anarquista”

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑